18/09/2017

A Semana nº 39

  • Na segunda, 11, publiquei no Digestivo Cultural minha coluna do mês, um artigo intitulado O Jornalismo Cultural na Era das Mídias Sociais, falando da nova relação entre jornalistas e artistas a partir do advento das redes sociais, ilustrada por recentes exemplos dos Tribalistas e de Nando Reis, e comentando ao final que este novo quadro me levou a focar no trabalho com Fotografia e Cinema. 


  • E na quarta, 13, o Metro Jornal me informou que montara um slideshow com as 7 fotos que inscrevi no Metro Photo Challenge, em outubro do ano passado. São imagens feitas no Amazonas em 2015 e em São Luís (MA), Canindé do São Francisco (SE), Cuiabá e Rondonópolis (MT) no ano passado - todas já publicadas aqui no blog. Para ver as fotos animadas, clique aqui




14/09/2017

Post nº 300: Como será o amanhã?



A única coisa permanente 
na vida é a mudança.



Esta frase, que parece ter inspirado a composição de Gilberto Gil "O Eterno Deus Mu Dança" (1989), é beeem mais antiga, sendo atribuída ao filósofo grego Heráclito de Éfeso (c.535-475 a.C.). Confesso que descobri isso agora, pesquisando no Google. Mas mesmo sem saber até hoje da antiguidade da frase, posso dizer que seu conceito me é bem familiar: seguidamente falo algo nesta linha a pessoas mais jovens que eventualmente me pedem conselhos.

O que costumo lhes dizer é que seus sonhos e objetivos irão mudar ao longo da vida, porque você mesmo/a irá mudar também, e não há nada de errado nisso. Percebo que, quanto mais jovem a pessoa a quem digo isso, mais ela se mostra relutante em concordar com o que digo. Mas é um fato: seria muito estranho que hoje, aos 46 anos, eu tivesse os mesmos sonhos e objetivos que tinha com metade dessa idade, aos 23 - no distante ano de 1994!

Mesmo os 5 anos que uso como base para a projeção de vida & carreira proposta no meu artigo Os 5 Valores de uma Carreira de Sucesso, de 2015, já são um período de tempo consideravelmente largo. Mas é claro que a proposta lá é um exercício mental para não ficarmos pensando tão presos ao agora, como geralmente fazemos.


Sete Coqueiros 
- 10.9.17


Recordo que, em fevereiro, quando estava em Belém, participei de um encontro de artistas no qual a proposta foi cada um escolher um ano qualquer no futuro e dizer como imaginava que estaria então sua vida. Tentando ser coerente com meu próprio texto, fui o único que coloquei a projeção para uma data razoavelmente próxima - os tais 5 anos. Houve quem se dispusesse a "saltar" 20 ou até 40 anos no tempo. Mas praticamente todos, com poucas exceções, se imaginaram na mesma cidade (alguns até na mesma casa!), com a mesma profissão e o mesmo circulo de amigos - mesmo os poucos que 'se viram' morando no exterior. As mudanças imaginadas, na quase totalidade, eram concretizações/desdobramentos de sonhos atuais: a conclusão do curso em que a pessoa está, o casamento com o/a atual namorado/a (seguido do nascimento de filhos do casal) etc.

Evidente que, sendo um exercício de imaginação, não há nada 'certo' nem 'errado' com o que tenha sido dito na ocasião. De todo modo, foi um raro momento onde cada um de nós pôde observar como os outros pensam, numa reunião de umas 20 pessoas, e não apenas numa conversa com amigos, como seria o mais comum de acontecer (se bem que raramente vejo amigos conversando sobre a vida de cada um dali a 5, 20 ou 40 anos).


Propaganda mural na praia de Cruz das Almas
- 9.8.17


É bom lembrar: as pessoas que estavam ali fazendo aquele exercício eram, todas, artistas e/ou ligadas de algum modo à Cultura e à Comunicação. Vendo este grupo tendo dificuldade em deixar a imaginação voar (ao menos em relação à própria vida), não é difícil entender como, para muitas pessoas, as mudanças - ou mesmo a possibilidade delas - são percebidas negativamente. Mas isto é algo inevitável; é impossível que nada mude nunca.

Existem as mudanças que decorrem de uma ação sua (você fez vestibular, passou, concluiu o curso e agora tem um diploma); existem as que, não sendo de sua iniciativa, lhe afetam (a empresa onde você trabalha foi adquirida por outra); e há as que surpreendem todo mundo (ou alguém imaginava em 1995 que em menos de 20 anos a internet mudaria TUDO?).


Cavalo na orla da praia da Pajuçara
- 5.7.17

Estas mudanças que não decorrem de uma ação sua se enquadram no que, no texto dos 5 Valores já citado, eu chamo de imprevistos positivos e imprevistos negativos. As fotos que ilustram este post são, todas elas, imprevistos positivos com os quais me deparei aqui em Maceió - ao sair de casa em cada um desses dias, eu não imaginava que iria presenciar estas cenas, e felizmente estava preparado para registrá-las.

  • A inspiração para escrever este texto veio de comentário que fiz num post da cantora Renata del Pinho no Facebook. 



13/09/2017

Prévia do ensaio com Amanda Maria



A imagem acima é a primeira a ser divulgada do ensaio com a modelo alagoana Amanda Maria. Fizemos as fotos nos bairros da Pajuçara e Ponta Verde, em Maceió, na quinta, 7. Agora pela manhã, ela publicou a foto em seu Instagram, com a seguinte legenda: Uma previazinha de um ensaio topadoo com o fera na fotos @fabiogomes.fotocinema !!! Na paquera com esse Graciliano Ramos oooh homão charmoso né não gente?? Rsrs

O ensaio completo, como de praxe, será publicado aqui no blog no dia 23, comemorando nossos 14 meses no ar. 

Desta vez, resolvi inovar postando fotos de prévia do ensaio (o que fiz antes apenas raramente, e nunca com postagens no blog, mas sim nas redes sociais). É tanto uma forma de promover antecipadamente a publicação do ensaio, quanto um modo de compartilhar com vocês uma série de fotos que de outro modo vocês não veriam no blog, em função de limitarmos a 10 o número de fotos por postagem (a única exceção até agora foi o Ensaio de aniversário, com 20, mas era uma data especial e um ensaio com dois modelos). Estou apostando no novo formato e ansioso pelos resultados.

  • Atualização 15.9: Na segunda foto da prévia, Amanda posa ao lado da estátua em homenagem ao ator Paulo Gracindo, na orla da Pajuçara. 


  • Atualização 17.9: Na terceira foto da prévia, Amanda abraça o coração de Maceió, que faz parte do letreiro "Eu amo Maceió", na orla da praia da Ponta Verde. 


  • Atualização 19.9: Na quarta e penúltima foto da prévia, vemos Amanda (literalmente) entre Maria Bonita e Lampião.



11/09/2017

Belezas Culturais: Grafitti em Belém



Em 18 de junho deste ano, já quase me despedindo de Belém, fotografei toda uma parede grafitada na Passagem do Horto (que liga a av. Conselheiro Furtado ao Horto Municipal, no bairro Batista Campos). 

Uma das imagens que mais me chama a atenção de todo aquele conjunto (que espero que ainda esteja por lá) é esta, de autoria do artista Peregrino Leão (saiba mais sobre ele no Facebook).

Impossível ler a frase e não lembrar do samba "Besta é Tu", de autoria de Galvão, Pepeu e Moraes, incluído no antológico LP Acabou Chorare (1972) , dos Novos Baianos. O título alude a um antigo método de violão comumente usado na Bahia, cujo exercício de abertura tem uma sequência de sons repetidos que lembram a frase "besta é tu". 




09/09/2017

Selfie preto e branco



Essa foto originalmente era colorida (veja a original ao final do post), mas com esse fundo de azulejos não havia porque resistir à tentação de convertê-la para preto e branco, né?

Fiz esta selfie em maio de 2016, numa breve passagem por Macapá para acompanhar alguns eventos do Ciclo do Marabaixo daquele ano (passagem que, além de algumas fotos, resultou também neste vídeo). O quarto que eu alugava habitualmente no Centro estava ocupado, então fiquei num outro que tinha essa parede peculiar. 





08/09/2017

Belezas Naturais: Maceió


Uma tela abstrata de algum pintor de arte contemporânea?

Não, "apenas" uma foto que fiz na Praia da Pajuçara, em Maceió, no dia 5 de julho.

:)


07/09/2017

Feriado

Uma publicação compartilhada por Fabio Gomes Foto & Cinema (@fabiogomes.fotocinema) em

04/09/2017

A Semana nº 38

No domingo, 3, o Cine Tamoio Festival - 2ª edição anunciou a programação completa (veja na fan page do evento). Meu curta Visitando os Tukano-Dessana será exibido na terça, 19, na 3ª sessão de documentários, que inicia às 15h45 no Teatro George Savalla Gomes (Carequinha), em São Gonçalo (RJ). Endereço: Rua Oliveira Botelho, s/nº, bairro Neves. 



02/09/2017

Quem avisa amigo é



Concluindo a semana que dedicamos aqui no blog a mensagens de conscientização sobre a importância de preservação do meio ambiente, no embalo dos sucessivos ataques do governo federal à Amazônia, fica o recado deste cartaz que fotografei em Palmas nas vizinhanças do lago da cidade, em 19 de julho de 2015. 

Maior floresta tropical do planeta, a Amazônia está ameaçada pelo recente decreto presidencial que libera a mineração junto a áreas de proteção ambiental e terras indígenasAssine a petição da Avaaz e impeça que a floresta Amazônica vire um deserto!


01/09/2017

Belezas Naturais: Garças sobre as mangueiras

Um belo dia de maio deste ano, estava eu na Praça Batista Campos, área central de Belém, tomado uma água de coco quando ouvi o que me pareciam ser patos grasnando. Olhei em volta, não vi pato nenhum. Como o som continuava, aliás ia ficando mais forte, em dado momento olhei para cima e me deparei com uma cena como esta. Não eram patos, mas garças, às dezenas, pousadas sobre as mangueiras. 


Voltei à praça no dia 17 de maio, mais ou menos no mesmo horário (final da tarde; esta foto foi feita às 16h53) para registrar este fenômeno que classifico como incomum. São famosos os periquitos que pousam sobre a samaúma vizinha à Praça do CAN, em frente à Basílica de Nazaré, mas de garças pousadas nas mangueiras eu jamais ouvira falar (e olhe que morei mais de 4 anos em Belém). A vendedora da barraquinha de coco que me atendeu naquele primeiro dia confirmou que diariamente, sempre no fim da tarde, lá vão as garças se posicionar sobre as mangueiras. 

Curiosamente, numa praça perto dali, a do Horto Municipal, onde há duas garças, elas não têm o hábito de ficar sobre as árvores em horário nenhuma. Eventualmente uma delas pousa sobre a cafeteria que existe no local, mas sem hora certa. 

Enfim, mais uma dessas belezas cheias de mistério da Amazônia! 

Maior floresta tropical do planeta, a Amazônia está ameaçada pelo recente decreto presidencial que libera a mineração junto a áreas de proteção ambiental e terras indígenasAssine a petição da Avaaz e impeça que a floresta Amazônica vire um deserto!

  • Ontem, 31.8, depois que eu já havia publicado o artigo Preservar o ambiente por inteiro, o governo federal anunciou a suspensão por 120 dias do decreto que extingue a RENCA, numa evidente manobra para deixar o assunto esfriar após as inúmeras reações vindas de todo o Brasil e até do exterior contra o absurdo de acabar com uma área protegida via decreto. De todo modo, a mobilização continua, vários protestos seguem agendados pelo país e você ainda pode demonstrar seu apoio à causa assinando a petição da Avaaz, linkada acima.