8.9.16

10.049 km pelo Brasil

Movimento captado pela janela do furgão
na passagem por Arapiraca-AL -  13.7.16


Em novembro passado, publiquei um texto com titulo semelhante ao deste (foi o 11.920 km pelo Brasil), relatando a viagem que eu fizera por Pará, Tocantins, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Rondônia e Amazonas divulgando os curtas e a exposição de fotos do projeto As Tias do Marabaixo. Consegui exibir os filmes em três desses estados, e expor as fotos em dois, além de criar a Oficina de Cinema Independente (e por criar entendam ter a ideia, organizar o conteúdo, vender e realizar a primeira edição, filmar um curta durante a Oficina e lançá-lo no YouTube, tudo isso ainda durante a viagem!). Também aproveitei para apresentar meus projetos culturais (e também os de artistas que represento) a Secretarias de Cultura municipais e estaduais e a unidades da rede SESC (este aspecto já não posso considerar bem-sucedido, pois nos 10 meses que se seguiram à viagem nenhuma das entidades que visitei entrou em contato, nem ao menos para dizer que receberam meu e-mail e estariam "analisando" as propostas - risos. Vivemos uma época sem disfarces). 

A viagem deste ano foi menos épica, pode-se dizer, embora a princípio seus planos fossem mais ambiciosos do que os de 2015. Este ano o roteiro não foi definido por mim, e sim traçado pelas inscrições que recebi entre fevereiro e abril durante o lançamento da Campanha #VamosSonharJuntos, visando levantar fundos para a edição do livro de fotos d'As Tias do Marabaixo. A princípio, eu iria para 30 cidades em 16 estados, totalizando quatro regiões brasileiras (apenas do Sul ninguém se manifestou). Digo a princípio porque eu sabia que em casos assim é comum ter alguma desistência. O que eu não esperava é que fossem tantas, e praticamente em sequência! Isso até já contei num texto publicado no blog Cinema Independente na Estrada, intitulado Ajustando o Rumo, então me limito aqui a dizer que, após fazer o último ensaio em Macapá em 7 de maio, apenas no começo de agosto, já em Rondonópolis (Mato Grosso), é que voltei a fazer ensaios da campanha. Fui até o Pará, Maranhão, Paraíba e Alagoas sem que nenhuma das pessoas inscritas tenha feito o ensaio ou ao menos me comunicado previamente da desistência (ou, no caso, da impossibilidade) de cumprir com o combinado. Não é preciso ser um Nobel de Economia para concluir que se as despesas continuam mesmo com inexistência de receita, não se poderá chegar a um bom resultado financeiro. 

Enfim, em Alagoas resolvi suspender a viagem, aguardando o momento de ir para Mato Grosso participar de um evento e realizar ensaios na capital e no interior - de toda essa programação, o único item que se confirmou foi o ensaio com a modelo Bruna Xavier, em Rondonópolis (que você já pôde ver aqui como Modelo da Semana e também no Ensaio de Agosto). 

Mesmo que o objetivo principal da viagem - financiar a edição do livro - não tenha sido atingido, de modo algum creio que deva lamentar esse novo "rolezão". Vejamos:

1) Em Belém, ministrei a segunda Oficina de Cinema Independente; 

2) Em São Luís, fui entrevistado por uma equipe da TV UFMA para um documentário sobre os 100 anos do Samba (contados a partir do lançamento de "Pelo Telefone"); também irão participar do doc figuras do porte de Paulinho da Viola e Beth Carvalho;

3) Ainda em São Luís, encomendei e recebi meu primeiro equipamento fotográfico adquirido via internet, a nova câmera Nikon L330; 

4) Já em Maceió, pude enfim lançar esse blog, uma ideia que tive em São Luís - e que, como já contei aqui e aqui, vinha de certa forma perseguindo há algum tempo.

Além disso, mais como uma curiosidade & satisfação pessoal, agora são apenas dois Estados do Brasil onde ainda não estive: Rio Grande do Norte e Espírito Santo (já que estamos desviando para curiosidades, acrescento que, dos 25 estados que conheço, em apenas um não estive na capital: Sergipe). 

Enfim, de volta a Macapá, onde cheguei hoje, vou ainda atender algumas inscrições feitas para a Campanha aqui no começo do ano, e no mais é seguir a vida, buscando outras alternativas para a edição do livro. Sim, ele será publicado, embora agora eu não tenha como precisar uma data para isto. De todo modo, já na segunda-feira retomo o trabalho de edição da obra. 


Nenhum comentário: