27.9.16

Modelo da Semana: Sonia Chagas



Destacamos hoje a beleza da macapaense Sonia Chagas. Professora, Sonia foi retratada por mim dançando o Marabaixo durante o Encontro dos Tambores em novembro de 2014. Anualmente, na Semana da Consciência Negra, este evento reúne no Centro de Cultura Negra da União dos Negros do Amapá (UNA), em Macapá, todos os grupos de Marabaixo e Batuque em atividade no estado. 

Em 20 de abril de 2015, Sonia publicou esta foto em seu Facebook, acompanhada do seguinte texto (os ladrões a que ela se refere são os cantos do Marabaixo):

Eu... tão entregue à dança, o bailado da saia, da melodia dos ladrões, a batida do tambor, som que acelera meu coração e me faz esquecer de tudo... 
Eu sou isso, eu não sou aquilo, pra me amar não precisa me entender, basta me respeitar... 
Sonia Chagas.. Marabaixo minha cultura, Marabaixo minha raiz, só quem conhece o Marabaixo entende porque sou tão feliz.
Obrigada Fabio Gomes pela bela foto.

26.9.16

Post nº 100: Raiara Neves



Para comemorar a centésima postagem deste blog, trazemos hoje uma foto inédita de Raiara Neves, a paraense moradora de Macapá que no momento é a detentora do maior número de acessos a um post nosso - seu destaque como Modelo da Semana passada já foi visto até o momento por 392 pessoas. 

A postagem já foi comentada várias vezes, inclusive pela própria modelo e por sua mãe, Joelma Bandeira. 

Esta foto foi feita na mesma noite da que já foi publicada, 26 de agosto de 2014, no antigo SESC Centro de Macapá. Nesta usei um filtro Sunset para destacar ainda mais a beleza da modelo. 


25.9.16

Oportunidade: Portfólio em Destaque

Portfólio em Destaque é uma oportunidade para profissionais da Fotografia, de qualquer estado do Brasil, expor virtualmente suas fotos aqui no blog. As inscrições iniciam hoje, 25/9, e vão até 10/10, uma segunda-feira. São portanto 16 dias, um período bem razoável. A data não será prorrogada. 

As inscrições serão feitas exclusivamente pelo formulário existente neste post, que pode ser acessado diretamente no Google Docs e que também estará linkado no blog Jornalismo Cultural. Outras formas de participação não serão aceitas. 

A promoção não envolve valores financeiros: você não precisa pagar para se inscrever, e também estará ciente, ao enviar a inscrição, que o blog não irá remunerar você pela eventual publicação de seu trabalho.

Estão previstas três publicações de Portfólio em Destaque neste ano, nos dias 20 de outubro, 20 de novembro e 20 de dezembro. Cada uma ficará destacada na lateral esquerda do blog por 30 dias e será amplamente compartilhada nas redes sociais do blog. Após o período de 30 dias mencionado, o post será mantido acessível no blog, a menos que o/a autor/a das imagens solicite sua retirada do ar.

No dia seguinte ao encerramento das inscrições, ou seja, 11 de outubro, entrarei em contato com as pessoas selecionadas para que façam o envio de 10 imagens de sua autoria a serem postadas no blog. O envio deve ser feito, na data combinada de comum acordo com ambas as partes, via WeTransfer (tendo qualquer dúvida sobre esta ferramenta, basta nos perguntar, ok?).


Aguardamos suas imagens!


Fabio Gomes 

***


A Semana nº 14

  • No domingo, 18, republiquei no blog Cinema Independente na Estrada, que mantenho na plataforma Digestivo Blogs, o artigo 10.049km pelo Brasil, que saiu originalmente aqui na quinta, 8. 

  • A semana registrou novos recordes de acessos ao blog. Primeiro foi a marca de 259 visitas na segunda, 19 - para avaliar o quanto isto representa, trata-se de um acesso a cada 6 minutos. A marca anterior havia sido 252 views, em 2 de setembro. Mas nada comparável aos 497 (eu disse QUATROCENTOS E NOVENTA E SETE) acessos recebidos na terça, 20, sendo 286 especificamente para apreciar a Modelo da Semana, Raiara Neves. Na tarde da quarta, 21, o post se tornou o mais visto deste que este blog entrou no ar, atingindo até este momento 379 acessos! E não parou por aí: como se fosse combinado, exatamente no dia em que o blog completou 3 meses no at, na sexta, 23, registramos o acesso de nº 9.000, às 9h40 da manhã!


497 acessos = 1 acesso a cada 3 minutos!



  • Tambem na terça, 20, eu por acaso descobri um link que permite o acesso direto do blog no formato para dispositivos móveis (celulares, tablets, smartphones). É este: https://fabiogomesfotocinema.blogspot.com.br/?m=1 . O visual resultante é basicamente o que eu perseguia ao tentar adaptar o modelo do blog (como já comentei aqui), de modo que não vejo porque mexer no formato atual - como lemos acima, os acessos não param de crescer, e boa parte deles já vem de dispositivos móveis, então pra mim tá tudo certo! 

  • Na quinta, 22, não foi possível exibir no Rio de Janeiro meu curta Tia Chiquinha no evento 5ª Cultural Encontro de Artes Integradas, como anunciamos no A Semana nº 13. Informaremos nova data oportunamente.

  • E ontem, sábado, 24, inovamos no nosso Ensaio mensal ao destacarmos não uma pessoa, como geralmente se faz, mas sim um oceano: o Atlântico. Como cheguei a comentar naquele post mesmo, noto um crescente interesse pelas minhas fotos de natureza - embora, evidentemente, os posts que geram mais interesse seguem sendo os que retrato garotas. O que quero dizer é que, no começo do blog, minhas fotos de árvores, jabutis e corujas mal tinham acessos, e hoje as visitas que recebem estão na mesma média que os outros posts. Para mim isso é ótimo, afinal um verdadeiro pai não faz distinção entre seus filhos ;) 

  • Também ontem tive um agradecimento público da cantora Myrian Fox, que inspirou o post do ensaio com o Oceano. Eis sua postagem no Facebook na noite deste sábado:



  • Por fim, hoje, 25, decidi alterar o conceito de uma tag usada aqui no blog - Foto do Dia. A partir de agora, ela só será usada quando a foto publicada no post houver sido tirada naquele dia mesmo (foi esta a ideia que me levou a passar o horário de postagem para o final da tarde, lembram?). Por outro lado, pretendo usar esta denominação "Foto do Dia" ao compartilhar imagens de minha autoria nas redes sociais, ligada ou não a post aqui do blog. 

24.9.16

Ensaio de setembro: Oceano Atlântico

Estava tudo pronto ontem para eu fazer um novo ensaio aqui em Macapá, que viria a ser o Ensaio de Setembro, quando a modelo me avisou que precisávamos cancelar, ou melhor, adiar a realização das fotos. Na hora fiquei meio sem saber o que fazer.

Mais tarde, depois que fiz o post sobre o Pau-Brasil, fiquei pensando: mas quem afinal disse que ensaio precisa ser 'estrelado' por uma pessoa? Tenho observado o aumento no interesse pelos posts de Belezas Naturais aqui no blog. Há 3 meses, essa seção era o nosso patinho feio; agora enquanto escrevo isto, ela tem 2 entre os 5 posts mais vistos esta semana (parece que o jogo virou, não é mesmo?). E para me incentivar mais, descobri esse texto do fotógrafo Edeson Souza que afirma ser o ensaio fotográfico um conjunto "de imagens que guardem coerência entre si".

Pronto, isto me animou a remelexer nos meus arquivos buscando fotos em que o Oceano Atlântico aparece com destaque. Segundo maior oceano do mundo, é o que banha o maior número de países, além de ser o mar presente em nosso litoral inteiro, 7.491 km abrangendo 2.095 praias em 17 estados - todos os do Nordeste e do Sul, mais São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, no Sudeste, e o Amapá ao Norte. A ligação do Brasil com o Atlântico é tão forte que 11 dos estados que ele banha têm sua capital à beira-mar. Dos outros cinco, Curitiba e São Paulo se situam a menos de 100km da costa, e Porto Alegre, Belém e Macapá (por coincidência, as três cidades onde já morei) estão próximas a grandes rios navegáveis que fazem parte de bacias hidrográficas que deságuam no Atlântico. A exceção a ambas estas "regras' é Teresina, situada a 343 km do litoral. 

Localizei em meus arquivos fotos do Atlântico em dois momentos - 2013 e 2016. 

  • 2013

As fotos do mar que fiz este ano são de duas viagens. A primeira, em setembro, ao Rio de Janeiro. Foi uma breve estadia, onde fiquei hospedado em Copacabana, ocasião em que fiz esta foto onde aparece com destaque a estátua em homenagem ao poeta Carlos Drummond de Andrade e um trecho da praia e do mar - sim, esta foi a imagem daquela viagem em que tem "mais mar" (risos). 



Rio - setembro/13



A outra imagem de '13 é dos dias que passei em Salvador, mais precisamente na praia de Itapoã, em outubro. Uma curiosidade: das 1.500 fotos que fiz na Bahia ano passado, nenhuma é do mar, já que as praias mais próximas de onde eu estava (fiquei no Pelourinho, então essas praias eram as da Cidade Baixa) estão situadas na Baía de Todos os Santos. 


Itapuã - outubro/13


  • 2016

Na recente viagem, estive em três estados do Nordeste com praias maravilhosas - Maranhão, Paraíba e Alagoas. Algo que me surpreendeu nesta viagem, e que me parece estar bem visível nas fotos, é a diferença da cor do mar de um estado para outro - água muito clara no Maranhão, azul na Paraíba e verde quase esmeralda em Alagoas. Alguém explica?


Pescadores na Praia do Calhau
- São Luís, 30.5.16


Mar rebentando perto do muro de contenção
da Praia da Ponta d'Areia - São Luís, 30.5.16


A beleza do 'rendilhado' formado pela espuma
das águas do Atlântico - Praia do Tambaú, João Pessoa, 12.6.16



Barcos próximo à orla
- Praia da Ponta Verde, Maceió, 16.6.16


Barco navegando no crepúsculo
- Praia da Ponta Verde, Maceió, 16.6.16


Uma vagem pintada no céu?
Não, alguém praticando windsurf na Praia do Calhau

- São Luís, 7.6.16


Banhista caminha pela Praia do Calhau
- São Luís, 7.6.16


Pôr-do-sol no Calhau
- São Luís, 7.6.16


Em tempo: Quero agradecer à pessoa que, sem saber, foi decisiva para eu resolver encarar o desafio de postar um ensaio não "estrelado" por uma modelo. Falo da cantora e compositora Myrian Fox, de Macapá, que fez o seguinte post no Facebook ontem á noite:






  • Veja o ensaio no YouTube:




23.9.16

Belezas Naturais: Pau-Brasil


Anteontem foi Dia da Árvore e ontem iniciou a primavera, logo o tema das Belezas Naturais desta semana teria que girar em torno da nossa flora.

Coincidentemente, hoje é também o dia em que este blog completa 3 meses no ar (logo de manhã cedo, atingimos a marca de 9 mil acessos, o que dá uma média de incríveis 100 visitas/dia!).

Para marcar esta data, escolhi apresentar pra vocês estes dois exemplares de pau-brasil existentes na Praça da Bandeira, em Macapá. Desde a reforma da praça, reinaugurada em 4 de fevereiro, há placas indicando o nome de várias árvores ali existentes.

A foto que abre o post mostra o pau-brasil que fica junto à Rua Eliezer Levy, que parece ser bem mais antigo que a outra árvore fotografada, mais próxima da Rua Gen. Rondon. Esta planta apresenta as flores vermelhas que caracterizam a espécie, ausentes na outra (desconheço o motivo dessa dessincronia). As fotos foram feitas hoje ao meio-dia com a Nikon S3500.

Creio que todos saibam, mas não custa dizer: o Brasil tem este nome por causa justamente desta árvore. Entre tantas peculiaridades que temos, esta é mais uma: somos o único país com nome de árvore - e creio que o único cujo gentílico (ou seja, a palavra que designa quem nasce em um lugar) é designa um ofício: brasileiros eram, nos primórdios da colonização portuguesa, aqueles que trabalhavam na extração da madeira do pau-brasil, abundante na Mata Atlântica, do Rio Grande do Norte ao Rio de Janeiro (observem que em geral os gentílicos terminam em -ense: amapaense; ou -ano: alagoano; o único outro gentílico que me ocorre com final em -eiro é mineiro, que também inicialmente denominava uma profissão).

Esta espécie de árvore é nativa do Brasil, e recebeu este nome dos portugueses devido à sua semelhança com outra, também chamada brasil, natural da Ásia, porém mais difícil de encontrar, e valiosa por fornecer a tinta vermelha, cujos preços estavam em alta na Europa no século 16. Por esta razão, tão logo invadiu o atual Brasil em 1500, Portugal se dedicou de imediato a explorar o pau-brasil, só mais tarde ocupando efetivamente nossas terras. Nomeado símbolo nacional em 1978, o pau-brasil é atualmente considerado em perigo de extinção, o que fez com que se começasse a plantar sementes desta árvore em vários estados do país. 

22.9.16

Saudade da Bahia!

Hoje, dia de textão no blog, eu estava pensando em fazer um artigo abordando algum aspecto do mercado profissional para fotógrafos. Mas, desculpem, toda a objetividade pretendida foi descendo num samba a Ladeira da Praça quando comecei a vasculhar meu acervo de imagens feitas na Bahia ano passado. 

(A justificativa objetiva para esse remelexo nos arquivos é um concurso promovido pela Wikipedia, que inscreve para a fase nacional até o dia 30 e dá prêmios em dinheiroooooo - além disso, os melhores da fase brasileira participam do concurso internacional. O Wiki Love Monuments foi considerado pelo Guiness Book, em 2011, o maior concurso fotográfico do mundo. Se joga!)

Minha estada em Salvador estava prevista para durar três semanas, sendo uma etapa da viagem dos 11.920 km em que buscava exibir os curtas-metragens e expor as fotos do projeto As Tias do Marabaixo. As três semanas, inclusive, foram pensadas para que eu pudesse ir a Jequié, onde já tinha agendado uma exibição dos curtas, e antes e depois de ir para lá fazer contatos na capital. Mas quando cheguei a Salvador, procedente de Palmas, já tinha uma sugestão para fazer aos amigos de Jequié: estrear lá a Oficina de Cinema Independente, cuja ideia me ocorrera exatamente durante a viagem de busão TO->BA!

A sugestão foi prontamente aceita, porém minha ida para Jequié, que devia acontecer perto do dia 15 de agosto, acabou ficando para meados de setembro. Utilizei esses 30 dias para preparar o material do curso; ao voltar do interior, decidi ficar mais um mês na capital para divulgar a nova atividade a instituições culturais de Salvador, públicas ou privadas, visando sua contratação. Desse modo, das 3 semanas previstas, minha estada na Bahia acabou durante praticamente 3 meses. 

Nem preciso dizer que foi um trimestre maravilhoso, e foi a um certo custo que peguei o ônibus rumo a Goiânia, em meados de outubro. O resultado em termos de Foto & Cinema? Ter estruturado e estreado a Oficina; expor as fotos e exibir os curtas das Tias numa sessão para estudantes na Biblioteca Pública da Bahia; dirigir e lançar um novo curta-metragem (Você é África, Você é Linda); e formar um acervo invejável com aproximadamente 1.500 fotos de Salvador, Jequié, Itaparica e Ilha dos Frades. Quase todas feitas com a intrépida Nikon S3500. 

Eu havia deixado a Canon T3i Rebel em Macapá, já que ela emperrara em maio, às vésperas da viagem. Quando vi que iria ficar um tempo beeeeem razoável em Salvador, pedi à amiga e colega Mary Paes, com quem deixara o equipamento, para me enviar a Canon. Com a câmera em mãos, acabei descobrindo uma triste verdade: embora as empresas (estrangeiras) que fabricam equipamentos fotográficos os vendam no Brasil todo, em muitos poucos lugares eles têm de fato assistência técnica autorizada. A Canon, por exemplo, só tem autorizados em São Paulo e Porto Alegre (ou ao menos era o que tinha ano passado, segundo o site deles próprios). Duas cidades só nesse país imenso!!!!

Enfim, acabei deixando a Canon aos cuidados de um técnico na Rua Chile, que me devolveu a câmera desemperrada (ou seja, ela voltara a fotografar), mas sem conseguir filmar continuamente mais que 8 segundos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! :P 
Preferi então deixar o equipamento à venda ali na loja dele mesmo, e pouco antes de sair da Bahia me desfiz da Canon, depois de menos de dois anos (eu a adquiri em dezembro de 2013, considero um tempo muito curto de vida útil). O próprio técnico acabou me aconselhando a investir em Nikon, já que (palavras dele) "Nikon não estraga". 

Entardecer na Ladeira do Pelourinho - ago/15
Mais acima: Pôr-do-sol visto do Elevador Lacerda 
para a Baía de Todos os Santos - ago/15

  • Dicas para quem está ou pretende ir a Salvador e quer fazer fotos em locais abertos:
  • No Pelourinho, há bastante policiamento, seja nas ruas, seja nos prédios históricos, e sempre que você ver guardas é relativamente seguro fotografar. Tome um certo cuidado se você ver um grupo de turistas com guia mas sem guardas próximos; eventualmente, grupos assim são alvo de pequenos furtos. Naturalmente, evite circular tendo expostos carteira, jóias, relógios ou objetos de valor nem deixe bolsas abertas. 
  • Você pode fotografar dentro das igrejas históricas, mas quase todas cobram taxa de visitação. Caso não queira pagá-la, você pode aproveitar horários de missa (fotografando discretamente, é claro), ou momentos culturais. A Secretaria de Cultura promove concertos eruditos nas manhãs de domingo em igrejas históricas.
  • Dentro dos museus de Salvador, não é permitido fotografar (à exceção, talvez, apenas da Fundação Casa de Jorge Amado). Você poderá fazer apenas uma foto panorâmica do ambiente, mas sem focalizar um objeto específico. 
  • Quase sem chance de erro, dá para dizer que se você ver policial perto ou outra(s) pessoa(s) fotografando, é um indício de bom lugar para fotografar. 



21.9.16

Vídeo: Mana Manauara - Bado (RO)


Há quase um mês, em 24 de agosto, publiquei aqui um dos vídeos que gravei no show que o artista Bado, de Rondônia, fez no antigo SESC Centro (Macapá) em 28 de agosto de 2014 - falo de "Lavadeiras"

Hoje destaco aqui o outro vídeo que fiz nesse dia, o de "Mana Manauara". Assim como "Lavadeiras", trata-se de uma parceria de Bado com o poeta Binho; ambas integram o CD Aldeia de Sons, que Bado lançou em 2005 (e que você pode ouvir no blog Música do Norte).


O show de Bado encerrou a programação daquele ano do SESC Amazônia das Artes em Macapá e contou com a participação especial do paraense radicado no Amapá Enrico Di Miceli (à esquerda na foto). Esta e outras imagens foram publicadas no blog Som do Norte em 3 de setembro de 2014; o vídeo foi publicado no canal do Som do Norte no YouTube dois dias antes. 


20.9.16

Modelo da Semana: Raiara Neves



Na volta da "Modelo da Semana", destaco hoje a beleza de Raiara Neves. Paraense moradora de Macapá, Raiara é formada em Enfermagem. 

A foto foi feita com a Canon T3i Rebel em 26 de agosto de 2014, no antigo SESC Centro (Macapá), na noite do show de Ben Charles cujo vídeo já mostramos aqui. Inclusive se você observar atentamente vai perceber Raiara dançando em certo momento do vídeo. 

Postei a foto cinco dias depois do show em meu Facebook pessoal, tendo como legenda Raiara Neves pensando: "Ah, esses paparazzi..."


19.9.16

Belezas Culturais: Nanna Reis na MTV Belém



Em junho de 2010, dias após ir morar em Belém, fui convidado pela cantora Nanna Reis para produzir seu trabalho. Fiquei honrado com o convite, só hesitando um pouco por não ter experiência na função (afora um breve período trabalhando com o Clube do Choro de Porto Alegre, mas isso tinha sido sete anos antes). Nanna me convenceu dizendo que ela também nunca tinha sido produzida por ninguém. Foram seis meses de um rico aprendizado; posteriormente, vim a produzir outros artistas de diversos estados. Atualmente, sigo na área produzindo o trabalho da Poeta Amadio (já destaquei aqui, aliás, seu CD Bem que Podia, produzido por mim). 

Fiz a foto publicada hoje durante a entrevista que Nanna concedeu ao MTV Belém em novembro de 2010. Na época a MTV Brasil ainda era bastante ativa e tinha um certo percentual de programação local nas suas retransmissoras pelo país (enquanto em Porto Alegre, por exemplo, havia drops ao longo dia, em Belém a VJ Carol Bambolê apresentava um programa diário com os destaques da música paraense). Quero destacar a linha editorial diferenciada do programa, evidenciada no convite que recebemos para esta participação, já que Nanna não tinha nenhum show programado para os dias seguintes, o que cada vez mais parece ser o único motivo para um profissional da música ser convidado a falar na televisão. 

Após ser entrevistada por Carol, Nanna cantou acompanhada ao violão por Elaine Valente. A instrumentista fazia parte da banda que tocava com Nanna na época, e que ajudei a montar (completavam o trio a baixista Inês Fernandes e o baterista Anderdez). Já não lembro exatamente o que Nanna cantou ao final, mas certamente eram músicas do show Brasilidade, que ela estreara em maio e que cheguei a dirigir em setembro - possivelmente canções de seu pai, Alfredo Reis, como "A Tentação" ou "Nêga" (esta, uma parceria de Alfredo com Antônio Carlos Maranhão).